quarta-feira, 3 de julho de 2013

Da impotância dada a tudo que não importa.

Confesso que não dou muita importância à cerimonias de caráter contratual. Sei que vivemos numa cultura que nos cobra ritos de iniciação em tudo, ou do contrário nada é válido. Nunca antes eu havia me debruçado sobre isso, mas as situações nos levam a notar certas coisas. Explico.

Recentemente, me mudei com meu namorado. Estamos morando juntos. Dividindo a casa, a vida e as preocupações. E eu estou absolutamente feliz. Me sinto casada com essa realidade. Aí eu chego pra uma amiga, que eu não vejo há tempos, e falo: "Casei". Ela imediatamente rebate com "E porque eu não fui convidada pra cerimônia?"

Oi? Então... Não teve cerimônia. Não ainda. Planejamos assinar os papéis, e tudo mais. O mundo nos obriga. Se não assinarmos, nunca poderemos nem dividir o mesmo contrato do plano de saúde. E a experiência de uma nova fase? As ansiedades? 

Não, não valem. Eu não casei.